Segunda-feira, 26 de Novembro de 2007

Agora sim =D

Paz de espírito.

Acreditar.

Sorrir.

Sinto-me: Desta vez? Muito bem xD
Música: Fall Out Boy - Thanks for the memories
Domingo, 25 de Novembro de 2007

Porque há dias que preciso mesmo...

 

"(...) O que queria era ficar contigo todos os minutos possíveis, como acontece aos apaixonados, mas também queria fazer tudo bem feito e por isso contive-me, deixando o momento respirar e sonhar contigo acordada, desejando que fizesses o mesmo. (...)"

"(...) O amor serve para voar por cima das coisas más. O amor transforma os homens em heróis e as mulheres em fadas. E o meu amor por ti dá-me asas para sonhar, arriscar, descobrir, rir, sentir e, mais importante que tudo isso, escrever. Os poetas falavam das musas porque eram homens. Se fossem mulheres, teriam certamente os musos, como tu. (...)"

Diário da tua ausência, Margarida Rebelo Pinto

Porque quero mesmo, mas não consigo. E por isso perco o que é importante.

Porque não consigo ultrapassar os meus medos, e faço asneira atrás de asneira.

Porque quero mas...tenho medo que não dê. E depois, não quero desistir.

 

Sinto-me:
Música: It's too late to apologize
Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

Invisível...

Temos momentos em que queremos ser meros seres invisiveis.

Gostaríamos de deixar de sentir, de ouvir, simplesmente desligarmo-nos do Mundo... Olhar nos olhos de alguém, ver o que se passa na alma. Ver aquilo que não conseguimos prestar atenção no dia a dia.

Ver as alegrias, os momentos tristes, as lágrimas, os sorrisos...

De tudo.

De todos.

Sem excepção.

Dos amigos, dos menos amigos, dos indiferentes.

Prestar atenção aos pequenos pormenores. Ouvir elogios e criticas de igual maneira.

Naquele momento não pensar em ser mais do que somos, em nos ultrapassarmos. Querer apenas ser. Existir. Sem necessitar de mais nada.

Há dias que não quero ser mosca, quero "simplesmente" ser invisivel.


 

Bem, semana sem testes, mas sem dúvida com testamentos (resumos, respostas de páginas inteiras...) para fazer.

Mas quem corre por gosto não cansa, se bem que às vezes dava jeito parar assim uns dias no tempo

 

Frase do dia:

Quando mais preciso de escrever, menos tempo tenho para isso -.-'

Sinto-me: Resumos e mais resumos...
Música: Aquele barulhinho de quando temos janelas do MSN a piscar xD
Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

Num momento de inspiração...

Consegui ver-te através dessa névoa, dessa tua voz distante, desse teu sentimento indiferente. Ou aparentemente indiferente, porque era isso que tu querias deixar transparecer. Tudo em ti consegue ser misteriosamente desigual. As tuas atitudes, as acções, a simples maneira de encarares o Mundo. O teu Mundo, aquele Mundo em que não deixas mais ninguém entrar, em que teimas em ser o único ser responsável por todas as acções.

Ao princípio, não me despertaste nenhum sentimento em especial, apenas neutralidade, porque era o que tu melhor sabias fazer: passar despercebido e apenas fazeres-te relembrar nos corações daquelas pessoas importantes.

Tinham-me falado sobre ti, sabes? Era como se tu fosses uma lenda, como se ninguém te conseguisse conhecer intimamente. O teu eu real. Como se tudo o que soubessem sobre ti fosse pouco para te retratar. É estranho esta aparente contradição, mas não deixa de ser verdade. És diferente, mas continuas a  ser parecido com todos os outros rapazes que conheço. Não sei como, porque nem consigo explicar as parecenças. Nem faço a mínima ideia de como podes ser tão parecido com alguém que não te dás.

Não me deixaste aproximar. Rejeitaste a minha presença, tal como continuas a rejeitar a presença de tudo o que te é estranho.

Aos poucos, aceitaste-me. Com muito receio, com muitas privações, sem aquele companheirismo que os amigos costumam ter. Era como se fosse uma estranha para ti, nessa tua (vida de) indefinição.

Tudo isto faz com que me sinta baralhada. Por isso começo a duvidar se existirás realmente. Se não serás apenas uma ilusão (não um sonho, pois os sonhos ainda temos esperança de os alcançar).

Agora, não sei o que és para mim. E sei que não vale a pena perguntar o que queres que eu seja para ti, porque não queres que eu faça parte dessa tua vida, desse teu Mundo em que ainda não aprendeste que sozinho não consegues ultrapassar. Essa tua vida egoísta, simples, arrogante...sincera.

Quero deixar tudo para trás. Os sentimentos. As palavras. As tentativas de ser alguém.

Quero ser importante para alguém. Quero ser relembrada. Quero não ser invisível. Tudo aquilo que não me consegues dar.

Quero partir, mas não quero desistir.

 

Sinto-me: Sono -.-'
Segunda-feira, 12 de Novembro de 2007

"Acabamos por ser aquilo que os outros idealizam para nós"

Tinhas um lugar privilegiado. Para ser sincera, nenhum de nós o sabia realmente. Falava contigo como se nos conhecêssemos desde sempre. Porque falar contigo era como falar com outro eu, como se me completasses profundamente. Conhecias a minha vida, os meus problemas, e reflectias-te neles.  Aproveitaste-te disso para me pores sempre com um sorriso nos lábios; não um sorriso qualquer, mas um sorriso especial. Aquele que apenas têm as pessoas que reconhecem a sua alma noutra pessoa e que a alma da outra pessoa reflecte tudo aquilo que somos. Por isso, só tenho de te agradecer. Por todos os momentos, por todas as palavras, por todos os sentimentos. Por tudo.

 

"Acabamos por ser aquilo que os outros idealizam para nós", dizes tu. Não posso concordar mais contigo.Mas apenas em parte. Fugimos ao que somos, para sermos a imagem que os outros têm de nós. Porém, aquele nosso eu não se perde, apenas se esconde, e fica para aqueles que aceitam que podemos ser como realmente somos, que não há problema em não sermos perfeitos. Acabamos por ser duas pessoas, uma real, outra o clone de quem os outros gostariam que fossemos.

Mas mesmo depois disto, depois de todo aquele esforço, de todas aquelas mudanças, continuam a exigir mais e mais. A querer uma pessoa perfeita. Que não tem direito a errar, a falar só por falar ou a ter uma opinião contrária.

Perfeição.

Nunca nos dizem que temos de ser perfeitos, mas dizem sempre que podemos ser muito melhores pessoas. E aí melhoramos, e voltam-nos a dizer que podíamos mudar para melhor. Não nos terão a pressionar demais?

É isto que eu penso, e tu também. Muitas vezes é como se entrasses pela minha alma adentro e soubesses o que sinto. É a melhor sensação que alguma vez senti, a de ser totalmente compreendida. Contigo não há "dias não" ou momentos realmente maus. Lágrimas há, sim. Muitas. Não só de alegria, mas lágrimas de compreensão, de emoção.

 

 

De tudo o que somos, aprecio em ti a enorme capacidade que tens de me ouvires horas e horas a fio,  olhando-me nos olhos. Ou então naqueles momentos em que o Mundo se perde e ficamos apenas os dois a flutuar em algo que nem nós sabemos caracterizar.

 

Não acredito em almas gémeas, mas acredito em almas que se completam, em almas que juntas conseguem ser mais do que qualquer outra coisa.

 

 


Bem...que posso dizer em relação ao texto? Escrevi-o num momento de (grande) inspiração porque, realmente, não sei de onde isto me saiu. É que não tem muito a ver comigo ou com alguma situação que passei. Por isso, curiosamente, não sei.

E, já agora, PARABÉNS MARIA!!!      

Sinto-me: Não sei. Não me sinto "aqui"
Música: Fall Out Boy - Thanks for the memories
Sexta-feira, 9 de Novembro de 2007

Autobiografia em 5 pequenos capítulos

I

Caminho.

Olho com atenção todas as ruas, todos os trilhos.

Constantemente tenho de tomar decisões.

Esta rua, ou a outra?

Escolho o melhor caminho para chegar ao destino.

O mais longo, o que nos faz ter a noção mais correcta das atitudes.

 

II

Consigo ver, muito ao longe, aquele lugar.

Não me basta andar, correr.

Tenho de fazer um esforço quase sobre-humano, ou talvez não.

Se quero alcançar, tenho de ultrapassar barreiras.

De tentar ser mais e melhor a cada esquina que passo.

Mas, não será excessivo?

Não terei a pedir a perfeição de algo?

 

III

Tentei não parar.

Mas havia sempre pedras, em que tropeçava vezes e vezes.

Escadas enormes a percorrer.

No meio dessas pedras, encontrei pedras preciosas. Ou elas encontraram-me a mim.

No meio de escadarias imensas, houve patamares que me ajudaram a ser o que sou.

 

IV

Começo a aproximar-me cada vez mais.

A acreditar verdadeiramente que nada é impossível.

Tudo o que já esteve longe, quase inatingível, agora está mais perto.

Finalmente…alcancei.

 

V

Ao longo do percurso, aprendi que não podemos fugir de escadas nem contornar pedras, pois todos os obstáculos têm um motivo de ser.

No princípio deste trajecto compreendi que o caminho mais curto nem sempre é o mais correcto.

Afinal, nem tudo depende de mim.



Mais um texto para Português, mas desta vez uma Autobiografia

 

Beijinhos**

Sinto-me: Concerto hoje!
Música: no music ! !
Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Prémios !!!

As minhas queridas amigas Angel (http://angel4everandever.blogs.sapo.pt/) e Maria (http://gostodeviver.blogs.sapo.pt/) premiram-me com estes DOIS prémios:

 

 

 

 

 

E a minha amiga Maria (http://gostodeviver.blogs.sapo.pt), há uns tempos (ups...), premiou-me também com esta taça:

 

 

 

Obrigada ^.^

Bem, provavelmente amanhã poderei postar também

Beijinhos**

 

Sinto-me: Quase fim-de-semana...
Música: Mika - Relax Take it Easy
Publicado por Ritynhaa às 18:11

Link do post | Comenta! | Fazer parte dos teus favoritos =)

Sobre mim =)

Pesquisar neste blog

 

Janeiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
20
21
23
24
25
26
27
28
31

Arquivo

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

101 coisas em 1001 dias ^^

Lista

Links

blogs SAPO